Como Vencer no Pôquer das Microapostas: Estratégia para Após a Virada das Três Primeiras Cartas da Mesa, Parte 1

poker chips table

O PokerListings.com e Nathan "BlackRain79" Williams, o mestre das Microapostas, se uniram para escrever a série definitiva sobre como ganhar no pôquer das microapostas.

Unindo conceitos profundos do livro inovador de BlackRain, Crushing the Microstakes (Esmagando as Microapostas) a uma continua análise de mãos/P&R, esta é a ferramenta ideal para se aprender a dominar os níveis mais baixos de apostas do mundo do pôquer.

Se você tem uma pergunta ou quer que BlackRain analise uma mão, deixe um recado nos comentários de qualquer artigo da série ou mande um e-mail para o webmaster (no) pokerlistings.com. As análises e as respostas aparecerão todos os meses.

Por Paul Verheij

Como você aprendeu no nosso guia das Microapostas antes da virada das três primeiras cartas da mesa, o pôquer de microapostas exige uma abordagem mais global e básica do jogo.

Isso também vale para o jogo após a virada das três primeiras cartas da mesa.

Assim como no guia de o que fazer antes da virada das três primeiras cartas da mesa, começaremos com os nossos objetivos para o jogo após a virada das três primeiras cartas da mesa e depois veremos como podemos alcançar esses objetivos.

Um lembrete:

No nível das microapostas, o negócio todo é obter valor com suas mãos boas.

Você tem que ser capaz de desistir de mãos em situações em que só pode ganhar um pote pequeno ou, se as coisas derem errado, de perder um grande pote.

Para tornar-se um microapostador rentável, NÃO é necessário explorar todas as pequenas vantagens possíveis. Em vez disso, você deve se concentrar no desenvolvimento de um plano de jogo sólido, rentável e bom o bastante para ganhar SOMENTE nas microapostas.

O que Você Não Deve Fazer

A boa notícia é que há um monte de jogadores fracos nas microapostas.

Se você só obtém valor nas situações mais rentáveis (o que ocorre com frequência), terá uma boa proporção de vitórias, baixa variância e pode subir os limites (se quiser) mais rápido.

A maioria dos que jogam nas microapostas, no entanto, até fazem exatamente o contrário. Em vez de se concentrar em jogadores fracos e em oportunidades de grande valor, eles se concentram em vantagens pequenas contra outros jogadores decentes.

Também tentam fazer jogadas mais avançadas contra jogadores fracos como semiblefes, blefes puros ou hero calls – todas jogadas que levam a uma variância mais alta, a uma proporção de ganho menor e a frustração.

NÃO seja um dos jogadores que caem como vítima dessa armadilha.

O que Você Deve Fazer

Em vez de ficar frustrado, aplicando estratégias avançadas de pôquer que não são ideais contra a maioria dos adversários nas microapostas, escolha outro caminho:

Concentre-se nas situações em que se faz dinheiro de verdade!

BlackRain79 fez um trabalho fantástico explicando isso em seu e-book, “Crushing the Microstakes”. Se você realmente quer vencer nas microapostas, você DEVE comprar o e-book dele.

huge cashgame pot

Para acompanhá-lo, oferecemos abaixo algumas diretrizes rudimentares para você começar a desenvolver uma estratégia decente para usar após a virada das três primeiras cartas da mesa para as microapostas.

Pote Alto, Mão Forte; Pote Baixo, Mão Fraca

Para tirar proveito de jogadores fracos, precisamos saber com quais mãos podemos conseguir isso.

Em uma frase: Entre em potes altos com mãos fortes e em potes baixos com mãos fracas.

Isso se alinha com o nosso objetivo do início desta matéria: obter valor com as suas mãos fortes e desistir das mãos em situações em que você só pode ganhar um pote baixo ou perder um pote alto.

Quais são as Mãos Fortes e Fracas?

Parece simples, mas a resposta para a pergunta “Quais são as Mãos Fortes e Fracas” é “depende”.

Uma mão com o maior par ou com a maior terceira carta é uma mão medíocre contra um jogador decente. Normalmente, esse jogador não vai encher o pote em três rodadas com uma mão mais fraca.

Você, no entanto, pode perder um pote alto se investir muito nessa mão contra esse tipo de adversário.

Um jogador inexperiente realmente IRÁ colocar toda a sua pilha de fichas em jogo com uma mão com o maior par e uma carta alta, porém fraca - fazendo do seu maior par com a maior terceira carta uma mão “forte” contra esse tipo de adversário.

Portanto, a primeira distinção que precisamos fazer antes de classificar uma mão como forte ou fraca é saber que tipo de adversário se está enfrentando.

Novamente, BlackRain79 fez um trabalho perfeito em seu e-book no que diz respeito aos tipos de oponentes que você enfrentará e como deve jogar contra eles.

Como queremos manter a coisa um pouco mais simples aqui, vamos apenas fazer uma distinção entre um jogador fraco e um jogador decente.

Como Reconhecer um Jogador Fraco

Esses tipos de oponentes devem ser o seu alvo, pois é em cima deles que você pode ganhar mais dinheiro.

Oponentes fracos enchem o pote com mãos mais fracas e, já que se concentrar nas apostas de valor é a chave para vencer nas microapostas, é muito bom ter adversários dispostos a lhe dar dinheiro com mãos piores.

Como é possível reconhecer esse tipo de jogador?

Antes de mais nada, é importante que você veja confrontos diretos de um contra um.

Eles lhe fornecerão a maioria das informações – e as mais precisas – de que você necessita. Revisitar mãos que você jogou contra seus adversários lhe dará muitas informações sobre eles.

Se você vir que um jogador só pagou as apostas em todas as três rodadas, por exemplo, somente com um maior par ou até menos que isso, são grandes as chances dele ser um jogador fraco que lhe dará muito dinheiro frequentemente com participações bem fracas.

Quando você vê confrontos diretos de um contra um, também dá para ver que tipo de mãos os seus adversários jogam e em que posição. Se você vê que ele sobe apostas com mãos como A-7 do mesmo naipe ou K-J de naipes diferentes jogando da UTG (primeira posição), dá para estimar o comportamento dele para futuras mãos e saber que ele não costuma ser conservador demais como a maioria dos jogadores decentes.

Esse jogador, provavelmente, também não tem consciência de sua posição de desvantagem.

Outras informações para as quais você deve ficar ligado:

-- Em quantas mãos alguém entra e se um jogador aumenta as apostas na maioria de suas mãos ou se é mais para o passivo e só paga as apostas na maioria das vezes. Um jogador que entra em muitas mãos, mas só aumenta as apostas em uma pequena parte delas costuma ser um jogador fraco.

-- Se você usa um HUD (Heads-Up Display), um dispositivo que armazena informações sobre seus adversários), você também pode ficar de olho se há uma brecha entre o VPIP (dinheiro colocado voluntariamente no pote) e o PFR (aumento de aposta antes da virada das três primeiras cartas da mesa). Jogadores fracos costumam apresentar uma brecha enorme entre esses dois indicadores, enquanto jogadores decentes costumam apresentar uma brecha pequena.

yellow hat poker player

-- Ao utilizar um HUD, você também deve ficar de olho em quantas vezes um jogador desiste após o terceiro aumento em uma rodada de apostas, ou encaixa apostas em rodadas consecutivas, etc. Se um jogador não desiste de mãos com frequência, então, é muito provável que ele somente pague as apostas com jogos mais fracos.

O seu objetivo é tentar identificar esse tipo de jogador, portanto, se você for novo em uma mesa, não deixe de prestar muita atenção aos seus adversários para que possa classificá-los o mais rápido possível.

Como Identificar um Jogador Decente

Todos os outros jogadores que não se enquadrarem na categoria de “jogador fraco”, vamos classificar como “jogador decente”.

Isso não significa automaticamente que você está realmente lidando com um jogador decente (muitas vezes não está). Mas contra esse grupo, é bom ter um pouquinho mais de cuidado quando se tratar de apostar para obter valor.

Contra esse grupo de jogadores, nosso objetivo é jogar com uma estratégia decente e só se envolver em potes altos quando tivermos uma mão excelente.

Se não for o caso, jogamos de maneira mais direta e, portanto, adotamos uma rota de menor variância.

Como já foi dito, o nosso foco são os jogadores fracos, mas se você jogar com uma estratégia direta e decente, há boas chances de que também vá lucrar com os outros jogadores.

Classificando Mãos Fortes e Fracas

Agora que já fizemos uma distinção entre os tipos de oponentes, fica muito mais fácil classificar uma mão como forte ou fraca.

Abaixo, descrevemos diferentes tipos de mãos e qual deveria ser o seu objetivo com esses tipos de mãos.

Lembrem-se: Essas diretrizes são meramente rudimentares, pois nenhuma situação se repete no pôquer. Você deve sempre analisar os naipes das cartas da mesa e se ela encaixa nas possibilidades do seu oponente, ou nas suas possibilidades percebidas, etc., etc.

Quanto ao conselho abaixo, presumimos que sequências ou flushes não são possíveis. Logicamente, você deve proceder com mais cautela se sequências ou flushes forem possíveis.

Ainda assim, essas orientações básicas devem ajudá-lo a avaliar se você tem uma mão forte ou fraca e como deseja proceder.

Mãos Sem Pares/Lixo

Este grupo de mãos é fácil de se jogar: Basta desistir delas caso suas apostas em rodadas consecutivas não consigam levar o pote.

Mãos Com Pares

Com pares, podemos fazer uma distinção entre pares alto, médios ou baixos. A terceira carta também pode desempenhar um papel importante.

Você pode desistir facilmente de pares fracos como pares médios e baixos, com exceção de possíveis apostas em rodadas consecutivas para ganhar o pote (Posteriormente, em apostas em rodadas consecutivas).

Se você encaixa o maior par após a virada das três primeiras cartas da mesa, sua mão continua sendo fraca. Contra jogadores decentes, mas também contra jogadores fracos, você deve proceder com cautela.

Com o maior par ou com a terceira maior carta, podemos fazer uma distinção entre os adversários. Contra um jogador decente, não é recomendável entrar em um pote alto com uma mão dessas, mas contra um jogador fraco, sem dúvida você deve fazer mais apostas que tenham valor.

Você ainda deve se dar conta de que, embora uma mão como TPTK (O maior par e a maior terceira carta) suba de valor contra um jogador fraco, esses tipos de mãos ainda não são grandes mãos lucrativas.

Overpairs (Pares escondidos maiores que qualquer carta que está exposta na mesa)

Um overpair parece bom à primeira vista, mas você deve se perguntar se um jogador decente está disposto a encher o pote durante três rodadas com uma mão que seja inferior ao seu overpair.

Se você acha que não (e um jogador decente de verdade, de fato, não estará mesmo), então, isso significa que não será nada bom entrar em um pote muito alto contra esse tipo de adversário.

Contra um jogador fraco, essa mão pode até ser lucrativa. Digamos que na sua mão veio um par de reis e as três primeiras cartas da mesa saem com Q-8-5, e um jogador fraco está com uma mão como A-Q, então, são boas as chances de que ele vá engordar o pote durante todas as três rodadas com uma mão dessas.

É claro que você precisa avaliar o seu overpair. É claro que um overpair como 9-9 com as três primeiras cartas da mesa saindo com 8-5-2 é diferente que o exemplo que acabamos de debater.

Dois Pares

Contra jogadores decentes, você deve tratar esta mão da mesma forma com que trata um overpair. Você quer agregar valor, mas não é nada bom inchar demais o pote.

Contra um jogador fraco, esta mão é muito lucrativa e você deve agregar o máximo de valor que conseguir com as suas apostas. Esse tipo de adversário engordará o seu pote com muitas mãos mais fracas.

Trips (Trincas formadas com duas cartas da mesa)

Embora trips sejam mãos fortes, não ficam tão escondidas quanto uma sequência, e portanto, contra um jogador decente, você deve ser mais cauteloso.

Nesse caso, a sua carta mais alta desempenha um papel importantíssimo. Não será nada bom você jogar todas as suas fichas para cima do seu adversário com 10-9 e a mesa mostrando 9-9-2, só para ver que a carta mais alta dele é melhor que a sua.

Assim como com dois pares, você tenta agregar valor à mão, mas não quer inchar demais o pote, a menos que esteja convencido de que a sua mão é a melhor.

Contra jogadores fracos, você deve se preocupar menos com a sua carta mais alta, já que jogadores fracos também jogarão dinheiro para dentro do pote com mãos mais fracas como overpairs, pares menores, etc.

Jogadores fracos não gostam de ser alvo de blefes, e frequentemente acham que você está blefando.

Sets (Trincas formadas com duas cartas da sua mão)

Com uma mão dessas, você não precisa fazer distinção entre seus adversários, apenas tente agregar o máximo de valor possível a elas.

É claro que você deve ficar de olho nos naipes das cartas da mesa com relação a possíveis sequências e/ou flushes, mas se não há perigo de alguém encaixar uma mão dessas, é só tentar colocar o máximo das suas fichas no pote.

Sequências

Contra jogadores decentes, esta mão é muito lucrativa, contanto que a sua seja a maior sequência possível.

Se você tem a carta que encaixa na ponta mais baixa de uma sequência, ou se a mesa mostrar quatro cartas consecutivas, você deve ter mais cuidado, já que um jogador decente não engordará o pote com uma mão que seja mais fraca se ele vê uma sequência óbvia formada com as cartas da mesa.

Sequências de qualidade continuam sendo muito lucrativas, no entanto, e você deve tentar se aproveitar delas para obter o máximo de valor possível.

Contra jogadores fracos, você deve se preocupar menos com isso, já que eles também vão investir alto em mãos com dois pares, etc. A exceção é quando a mesa mostra uma sequência de quatro cartas e você só tem a carta que encaixa em sua ponta mais baixa.

Flushes 

Contra jogadores decentes, somente os maiores flushes possíveis serão, de fato, lucrativos. Um flush que não seja o melhor possível também é bom o bastante para tentar agregar valor ao pote apostando nele, mas seja muito mais cauteloso com mãos como essa, sobretudo quando a mesa mostra quatro cartas do mesmo naipe.

Contra jogadores fracos, em geral, essas mãos são lucrativas, já que muitas vezes vão pensar que você está blefando e ficarão engordando o pote com mãos mais fracas.

A exceção é quando a mesa mostra quatro cartas do mesmo naipe e você não tem a melhor mão possível. Nesse caso, você deve proceder com mais cautela.

Mãos Monstruosas: Full House e Superiores

Bom, essas mãos falam por si próprias. Contra os dois tipos de adversários, você deve tentar se aproveitar delas para tirar o máximo de valor possível.

Sem dúvida são lucrativas, portanto, você deve tratá-las como tal.

Saídas de Cartas

Esta é uma categoria especial. Na maioria das vezes, são mãos sem sequer um par ou com pares fracos, mas têm o potencial de se tornar uma mão ótima.

Contra um jogador decente, você pode arriscar suas possibilidades com mais agressividade se achar que também pode levá-lo a desistir da mão.

Contra esse tipo de adversário, você pode ganhar a mão de duas maneiras: Encaixando a sua possibilidade de saída de carta ou levando seu oponente a desistir. Ainda assim, você deve ficar ciente da força da sua possibilidade de saída de cartas, conforme mencionamos com sequências e flushes.

Contra jogadores fracos, você deve ser cauteloso com essas mãos quando não tiver nenhum par além do que pode aparecer nas cartas da mesa. Jogadores fracos têm dificuldade em encontrar o botão de desistência, então, um semiblefe não é tão potente.

Em parte, essa jogada se baseia na probabilidade de desistência do seu adversário, uma coisa que você não tem contra esses adversários. Contra adversários fracos, você deve, portanto, jogar a mão de forma mais passiva.

Apenas pague o necessário em vez de aumentar as apostas quando tiver as probabilidades certas para fazê-lo.

Agora que já discutimos os diversos tipos de mãos e se são mãos de potes altos ou pequenos, na Parte 2, vamos aprender a planejar suas mãos com antecedência.

Please fill the required fields correctly!

Error saving comment!

You need to wait 3 minutes before posting another comment.

Nenhum Comentário